Esse ano foi tenso. Para manter a sanidade, desenvolvi diversos jogos para exercitar a mente. Nesta lista incluí apenas os jogos que foram lançados gratuitamente na internet. Isto pois tenho protótipos ainda em desenvolvimento, material para meus jogos (como o Space Dragon) que não configuram um jogo completo, fora alguns projetos comerciais ainda a serem lançados. Com isso, vamos lá!

Moscas Mortas

Este foi uma jam relâmpago que resolvi lançar no dia 31/12/2019 para ver o que saía. Não foi em 2020, mas vale incluí-lo por ser o último que escrevi antes da virada para o fatídico ano. Trata-se de um jogo solo no qual o jogador controla um soldado sintético que dura apenas 24h, e utiliza drogas de combate para aumentar sua efetividade neste tempo. Será que o soldado sobreviverá até sua derradeira hora? Ou... será que é possível viver além disso?

Uma Moeda para seu Herói

Após assistir o seriado The Witcher na Netflix (e lembrar que eu tinha os jogos na GOG.com), por conta da popularidade da canção "Dê um trocado para seu Bruxo" escrevi um jogo solo (ou coop em dupla) sobre um herói itinerante e seu companheiro menestrel enfrentando perigos em troca de moedas. Tem regras assimétricas se jogado em coop, e a mecânica de rimas é a base para um jogo que sairá em 2021!

Aprendizes Zombeteiros

Antes de começar toda a loucura de quarentena, eu estava bem empolgado com Dois Irmãos (Onward) da Pixar. Tanto que fui analisando os trailers quadro a quadro tentando decifrar o sistema de RPG que era referenciado nas páginas do livro de magias. O ano passo, não assisti ao filme e inclusive ele ganhou um jogo oficial. Mas foi bem divertido bolar essa doideira, que ficou bem longe de ser um RPG ortodoxo!

Final Boss Fight XXV: United

Em março rolou a 4ª Mesa de Papelão, uma jam de jogos analógicos. Com o tema "união" e inspirado pelas gameplays de Final Fantasy que estava assistindo na época, bolei um dice game no qual os jogadores são os protagonistas de um JRPG durante a batalha final contra o chefão do jogo. Fiquei dois dias sem dormir para resolver as mecânicas!

Zumbanho

Já entrando direto em outra jam, a AKOM Quarantine Game Jam Plus trouxe o tema de "Bem-Estar", e usando alguns diversificadores cheguei ao conceito de um jogo no qual hordas de zumbis atacam os protagonistas. A diferença é que estes zumbis são apenas pessoas que não tomaram banho, e os protagonistas precisam lavá-las com suas armas d'água. O desenvolvimento foi bastante instrutivo em alguns novos recursos da engine Unity, e produzir um jogo para dois no mesmo celular foi muito legal!

COF COF

Voltando aos jogos analógicos, resolvi criar algo sobre a pandemia para fomentar as boas práticas de higiene e distanciamento social. O resultado foi um jogo de cartas solo no qual você tenta conter e curar a pandemia nos diversos continentes, utilizando um baralho comum de cartas. Foi um processo muito legal pois pude contar com o feedback de vários amigos que testaram o jogo.

[Vídeo de gameplay]

Planeta Vermelho-Sangue

Participando da #minimizeRPG2020 resolvi trabalhar numa espécie de reconstrução/retroclone do Warriors of Mars, jogo do Gary Gygax que saiu rapidamente de mercado devido a direitos autorais. Eu acabei indo muito além, criando um jogo com cenário e idioma próprios! Este inclusive terá uma versão impressa limitadíssima em breve.

60''~☢️

Como eu sou um garimpeiro inveterado de plataformas obscuras para desenolvimento de jogos, encontrei uma engine de visual novels para o Arduboy. Portanto para a GMTK Game Jam 2020 eu produzi uma pequena visual novel sobre um desastre nuclear no qual o personagem tem apenas 60 segundos para sair dali. Utilizei o Twine para a estrutura da narrativa, com a engine citada anteriormente para a lógica do jogo e convertendo manualmente as imagens para o formato do Arduboy. Uma das motivações é que a engine também exportava para HTML5, então o jogo já saiu como multiplataforma!

Sir Veillance

Resolvi participar da #LowRezJam2020, uma competição de desenvolvimento de jogos digitais em 64x64 pixels. Como estava na vibe de experimentar com o Arduboy (comprei dois exemplares e recebi quatro!) aproveitei a deixa e desenvolvi o joguinho para essa plataforma. Trata-se de uma variação daqueles quebra-cabeças de deslizar os pedaços de uma imagem, mas com gestão de recursos e até um elemento de time attack para fomentar a rejogabilidade. Produzi um vídeo explicando todo o processo de desenvolvimento também!

BOXBOXBOXBOXBOX

Como se já não bastasse de jams, resolvi participar da js13kGames. O objetivo é produzir um jogo completo em JavaScript cujo arquivo .zip tenha no máximo 13kB. Fui bastante ambicioso com minha proposta, recriando um jogo de plataforma ao estilo id Software com 32 níveis e elementos de metroidvania. Nele o protagonista é um carteiro que precisa recuperar 5 encomendas e 32 cartas perdidas no estoque, enfrentando monstros, poças de ácido, salas alagadas, puzzles de blocos, etc. E não é que deu certo?

CEOps...

Pegando carona nos bugs de Cyberpunk 2077 e na queda dos servidores da Google numa segunda-feira, assim que entrei de férias escrevi um jogo solo no qual você, o CEO de uma megacorporação, deve descer 99 andares até o subsolo do prédio e reiniciar os computadores à mão. Mas claro, no meio do caminho muitas estripulias tecnológicas vão rolar.

Balanço geral!

Produzi no total 11 jogos (contando com o dia 31/12 do ano passado), dos quais:

  • 7 foram produzidos durante game jams ou competições similares
  • 5 são focados em narrativa (RPG, storygame, como preferir)
  • 4 são em plataformas digitais (Android, Arduboy e navegador)
  • 4 são jogos solo (7 se contar os digitais!)
  • 2 não têm uma pegada narrativa, mas facilmente poderiam ter (Cof Cof e Finall Boss Fight)

E 2021?

Ahhhh se eu pudesse contar! ;)